Olá amigas, estou aqui passando para voces um pouco mais de conhecimento.
Sou uma apaixonada por minha profissão e fiz este Blog com muito carinho e dedicação !

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Mononucleose - Doença do beijo

 O carnaval está chegando e quem pretende beijar muito deve ter cuidado !

 


O carnaval está chegando e  muita gente aproveita para paquerar e beijar na boca.

Para os solteiros, a ocasião pode ser a oportunidade de encontrar o grande amor. O problema é que um simples beijo pode transmitir uma doença pouco conhecida, mas muito frequente chamada de mononucleose.

É transmitda pela saliva em contato íntimo e o beijo é o grande  aliado da doença, associado a ambientes com aglomeração .

O vírus é da mesma família do herpes.- 90% dos casos de Mononucleose Infecciosa é causada pelo vírus Epstein-Barr (VEB). Os 10% restantes podem ser provocados pelos mesmos agentes causadores da citomegalovirose, toxoplasmose, rubéola, hepatite, HIV e adenovirose.

Sinais e sintomas :

Cerca de 50% dos casos, quando acomete adolescentes e adultos jovens, a doença se apresenta em sua forma clássica, que dura, em média 2 a 4 semanas.





A doença começa com dor de garganta, febre e gânglios inchados, que podem aparecer após um mes e meio do contato, tornando assim difícil relacinar uma coisa a outra (doença ao beijo).


 Depois aparecem sintomas clássicos como:

Inicia-se com mal-estar, fraqueza, febre, dor de garganta, dor abdominal, dor muscular e náuseas que duram cerca de 1 a 2 semanas, que são comuns a várias doenças como gripes e doenças infecciosas. 

  As amígdas aumentam de tamanho, ficam hiperemiadas ("vermelhas"), com petéquias (pontos vermelhos) no palato ( céu da boca ) e exsudato fibrinopurulento. 90% dos pacientes apresentam linfadenomegalia ("ínguas") em pescoço, embaixo do queixo, nas axilas, virilhas e até nos cotovelos. 50% dos pacientes apresentam um aumento no tamanho do baço e 10% apresentam aumento no tamanho do fígado. Pode haver edema ("inchaço") nas pálpebras. 



 Em algumas pessoas, a doença pode afetar o sistema nervoso ou comprometer o baço.

Tratamento: Não existe um tratamento específico para a mononucleose
Repouso, medicamentos para febre febre e dor, antiflamatório para ajudar a diminuir as amígdalas, porque, às vezes, elas crescem muito.

Atenção pessoal: Mesmo depois que os sintomas desaparecem, o vírus pode ser transmitido até por um ano e meio, então mesmo depois de ficar boa, a pessoa ainda pode transmitir a doença.

A mononucleose confere uma imunidade duradoura ,então o portador  não vai ter a doença  várias vezes.

Considera-se que cerca de 95% da população mundial já foi acometida pelo VEB.
 

 
 
 
 
Então pessoal : Beije com moderação !!!!









Escrito por Dra Magda Paradela 
Fonte:GG1

3 comentários:

  1. Muito boa a matéria! Informativa e educativa. Vou compartilhar no face, pois é deste tipo de informação que nossos jopvens precisam.

    Parabéns Dra Magda!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo blog!

    Amei, estarei visitando constantemente.
    Aprendi bastante com as reportagens.
    bjs.
    http://iasnilgarcez.blogspot.com/

    ResponderExcluir